Terno Olhar

E disse Abrão a Sarai: Eis que tua serva está na tua mão; faze-lhe o que bom é aos teus olhos. E afligiu-a Sarai, e ela fugiu de sua face. E o anjo do SENHOR a achou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur. E disse: Agar, serva de Sarai, donde vens, e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai minha senhora.
Então lhe disse o anjo do SENHOR: Torna-te para tua senhora, e humilha-te debaixo de suas mãos. Disse-lhe mais o anjo do SENHOR: Multiplicarei sobremaneira a tua descendência, que não será contada, por numerosa que será. Disse-lhe também o anjo do SENHOR: Eis que concebeste, e darás à luz um filho, e chamarás o seu nome Ismael; porquanto o SENHOR ouviu a tua aflição. E ele será homem feroz, e a sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos.
E ela chamou o nome do SENHOR, que com ela falava: Tu és Deus que me vê; porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê? 
Gênesis 16:6-13

Hagar estava num péssimo dia, provavelmente um dos piores de sua vida. Acabara de ser maltratada por sua senhora Sarai por causa de um problema que a própria Sarai havia criado. Após toda dor e humilhação, fugiu para o deserto sozinha, provavelmente para a morte. Diante de tanta dor, o Anjo do SENHOR a encontra, e fala graciosamente com ela. O Anjo a avisa que está grávida, e a instrui a batizar a criança de Ismael, que em hebraico significa “Deus está ouvindo”, pois o SENHOR havia ouvido seu clamor. Estasiada com o encontro, Hagar chama a Deus pelo nome “Tu és Deus que me vê”, porque graciosamente olhou para ela em sua aflição. Por fim declara: “Não olhei eu também para aquele que me vê?”. Ela se perguntava, meio que ainda sem acreditar no que havia acontecido, mas crendo no Deus que falou a ela. Assim, ela declara em sua pergunta a si mesmo, se havia olhado para aquele que olhou para ela. Ela sabia: a resposta era sim.

Nesta simples pergunta ela nos deixa uma forte compreensão de Deus e sua forma de agir. Ele primeiramente olhou para nós, e por causa disso, olhamos para ele. Algo muito mais profundo do que se pode imaginar acontece quando olhamos de volta para aquele que olhou para nós:

Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro. Isaías 45.20

Deus nos olha com seu terno olhar, e nos chama pelo nome, com sua doce voz, dizendo: “com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí.” (Jeremias 31.3)

Deixe-mo-nos ser atraído por este Deus, ouçamos a voz do Criador, e olhemos de volta para aquele que nos olhou com compaixão.

Publicado em Devocional | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

Precisamos de um Avivamento

O Brasil, bem como o mundo ocidental, tem passado por uma crise moral, social e espiritual sem precedentes. Os movimentos politicamente corretos e marxistas querem transformar a sociedade substituindo a moral cristã, que é sua base, por uma moral ateísta e liberal. A nossa base moral, que nos trouxe até aqui, são as Escrituras Sagradas. Se você anda na rua hoje e tem um mínimo de confiança de que os que estão ao seu redor não vão se levantar contra você para roubar as chaves do seu carro ou mesmo para te tirar a vida, é por que está escrito “Não matarás” e também “Não roubarás”. Por que então em outras questões queremos negar esta Lei? O liberalismo que se introduziu no século passado começou sutil. No princípio, somente algumas situações eram mudadas, somente alguns comportamentos liberados. Começou com a revolução sexual. O sexo, que biblicamente é lícito dentro do casamento entre homem e mulher tornou-se algo natural fora dele. Mas o que há de mal? Simples: se pecamos num ponto da Lei pecamos em todos. Se abrimos mão de um, logo estaremos abrindo mão de outros. Hoje, sequer o não matarás é respeitado. Chegamos ao ponto dos países legalizarem a abominação do aborto. Milhões de vida são silenciadas anualmente por essas políticas. Mas Deus não está inerte. Pois o Deus de misericórdia também foi o Deus que destruiu Sodoma e Gomorra no fogo por justo juízo. Você se lembra de que Deus é amor? Bom. Mas, lembrar-se-ia você de que Ele também é severo e vingador de toda iniquidade? Deveria.

E a Igreja? Morta, inerte em suas questões internas. O mesmo liberalismo de fora a invadiu. Prostitui-se diariamente com o mundo. Aceita e prega o Evangelho da Prosperidade, assinando sua destruição e condenação, pois este evangelho FECHA a porta da graça para as pessoas. Cegos guiando cegos. Hoje no Brasil temos tele evangelistas no Brasil trazendo lobos em pele de cordeiro do exterior para seus programas de TV. E para que? Pregar o Evangelho é que não é. Eles vêm para pregar seu evangelho de mentiras. Para pedir “sementes” pela salvação da sua família, sucesso, prosperidade, o que nada mais é do que a velha e abominável heresias de venda da salvação medieval. Envergonham Lutero! Suas quinquilharias fazem a Igreja Medieval parecer pura diante do que eles fazem! E dizem que vivemos um grande avivamento! Ora, me poupem, que avivamento é este que não vemos mudança na sociedade? Que avivamento de sinais estranhos e manifestações ridículas atribuídas ao Espírito Santo? Pessoas caindo, rindo, rolando, em transe, e tudo atribuído ao Espírito Santo! Blasfêmia! São histeria coletiva, isso sim, quando não manifestações demoníacas mesmo. Olhando para tudo isso, até pensaríamos: quem? quem há que permanece fiel?

Então aqueles que temeram ao SENHOR falaram frequentemente um ao outro; e o SENHOR atentou e ouviu; e um memorial foi escrito diante dele, para os que temeram o SENHOR, e para os que se lembraram do seu nome. E eles serão meus, diz o SENHOR dos Exércitos; naquele dia serão para mim jóias; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve. Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve.” (Malaquias 3:16-18)

Deus tem sempre um remanescente. Lembrai-vos de que achando Elias que era o único fiel em Israel, Deus o mostrou que 7000 haviam que não se dobraram a Baal. Onde estão estes 7000 hoje? Estes são os que tem de orar, clamar, se humilhar, pois fiel é Deus que prometeu “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (2 Crônicas 7:14)

A Ira de Deus precisa ser satisfeita contra tamanha iniquidade! E existem dois meios de fazê-lo: arrependimento ou destruição. Precisamos clamar pela primeira opção.

Por onde olhamos vemos apostasia. Olhem para a Europa. Um continente que um dia irradiou a luz do Evangelho para as nações. Hoje, ateísta, imoral, pioneiro na destruição moral da sociedade. Não tardará o julgamento se não se arrependerem.

Américas? Seguindo pelo caminho do Velho Mundo. Estados Unidos? Mata mais de 3 mil infantes por dia! E usa a ONU para promover suas agendas imorais. Também exporta os falsos profetas da prosperidade, confissão positiva, e tantas outras heresias mais.

Concluo chamando aqueles que conhecem ao Senhor que clamem a Ele por um avivamento urgente. Tornemos para Deus, e Ele se tornará a nós. Convertamo-nos, e Ele nos perdoará. Olhemos para a Lei de Deus com respeito e temor. Ela é a peneira da justiça, que separa certo de errado, moral de imoral.

Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, que lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e juízos.
Malaquias 4:4

Publicado em Estudos Bíblicos, Sermões | Marcado com , | Deixe um comentário

A Paixao de Cristo

Talvez o filme mais bem produzido sobre as últimas horas da vida de Jesus Cristo, o filme de Mel Gibson ofende a muitos com a clareza que expõe o sofrimento a qual Jesus foi submetido. Mas, será que Cristo sofreu mais castigos físicos do que qualquer um que já andou sobre a terra? Evidentemente, basta olharmos para as histórias comoventes dos mártires cristãos, de ontem e de hoje, e poremos isso em dúvida. Filósofos gregos foram executados cruelmente e chegaram até a impedir que chorassem por ele. Morreram calados e com coragem. Assim também o foram, conjecturo, muitos cristãos perseguidos pelas mãos de Roma, por exemplo. Mas, diz a Escritura que, antes de ser entregue aos sacerdotes judeus, Jesus chorou lagrimas de sangue no Getsemani. Seria o Filho de Deus medroso ou mais fraco que qualquer homem? Aquele que disse que bastava uma palavra e legiões de anjos viriam a seu dispor deveria temer os homens em que? Certamente, eu digo que precisamos saber o que Jesus temia. O que o fez chorar sangue!? Disso depende nossa compreensão do Evangelho. Jesus pediu ao Pai que afastasse dele um cálice, uma taça. Mas, o que havia neste copo? Eis a resposta, nas próprias Escrituras.

Desperta, desperta, levanta-te, ó Jerusalém, que bebeste da mão do SENHOR o cálice do seu FUROR; bebeste e sorveste os sedimentos do cálice do atordoamento.” (Isaias 51:17)

Porque assim me disse o SENHOR Deus de Israel: Toma da minha mão este copo do vinho do FUROR, e darás a beber dele a todas as nações, às quais eu te enviarei.” (Jeremias 25:15)

Porque na mão do SENHOR há um cálice cujo vinho é tinto; está cheio de mistura; e dá a beber dele; mas as escórias dele todos os ímpios da terra as sorverão e beberão.” (Salmo 75:8)

Como vemos, diz a Palavra de Deus que, em sua mão, Deus tem um cálice cheio de FUROR, palavra que significa IRA, RAIVA, SANTA INDIGNAÇÃO. E que dará de beber aos ímpios da terra, aqueles que pecaram contra sua santa Lei. Ainda poderíamos citar outros versos mostrando quão terrível é este cálice, cheio de misturas e lixo, como nos revelou o salmista.

O que Jesus temia? Essa foi nossa pergunta. Não, ele não temia sofrimento algum dos homens. Jesus temia algo muito pior. Jesus temia o que eu e você deveríamos temer! Ele temia aquilo de que hoje muitos zombam, negando sua existência. Jesus temia a IRA DE DEUS! O que ele estava para fazer era tomar voluntariamente o cálice da IRA do Deus Todo-Poderoso. Isso é uma figura de linguagem que descreve que Jesus estava para ser castigado, punido, atormentado pelas mãos do próprio Deus pelos pecados. E pecados de quem? Dele não eram, pois Cristo jamais pecou. Eram pecados dos homens. Imorais, indignos, imundos, violadores da lei. Dia após dia, eu e você pecamos milhares de vezes. Seja nas menores coisas, nos tornamos indignos da Santidade de Deus. Somos criminosos, violadores do seus mandamentos.

A resposta teológica mais digna que já ouvi a respeito do motivo pelo qual o pecado do homem merece punição ETERNA no fogo é exatamente que, embora na nossa mentalidade, um único pecado possa ser simples, não se trata do ofensor, e sim do ofendido. Diga mal a respeito de um rei em público e você provavelmente vai preso. Diga mal a respeito de um qualquer e nada acontecerá. A ofensa torna-se pior devido a magnitude do ofendido. Ai de nós, certamente, pois pecamos não contra um semelhante nosso, mas contra o ETERNO e SOBERANO, e INFINITO Deus.  Merecemos, portanto, punição infinita. Esta seria a única forma de saldar nosso débito com Deus, passando a eternidade no Inferno. Mas Deus é amor! E dizem as Escrituras, “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (Isaías 53:5). Sim, a Lei de Deus prevê a morte ao infrator, mas também prevê um resgate. Alguém puro e imaculado deveria sofrer a punição no lugar do homem. A Ira de Deus precisa ser satisfeita. Quem? Quem faria isso, senão o Filho do Homem, Jesus, Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem?  E ele bebeu o cálice. E ali na Cruz, realizou algo que NENHUM filme conseguirá mostrar. Eles sequer entendem isso. O maior cargo de Cristo foi na Cruz. Ali, sem ninguém ver, sejam seus discípulos, sua mãe, ou mesmo aqueles que dele zombavam impiamente. Nenhum deles viu a mão invisível que o afligia. Ali, em instantes, ele suportou o Deus Eterno em inimizade contra ele mesmo. Enquanto escrevo isso, busco palavras, pois as mesmas faltam. Não há nas línguas dos homens algo que possa descrever com perfeição esta cena. Deus ferindo a Seu Filho, derramando sobre Ele a Ira que eu você levaríamos a Eternidade para pagar, em apenas alguns momentos. Isso sim, foi o que o fez chorar sangue. E ele tomou o cálice. E ali na Cruz pagou total e finalmente pelos pecados do SEU povo. Dali em diante, embora possamos muitas vezes não entender, NÃO existe nenhuma dívida ou crime na ficha daqueles que creem em Jesus Cristo. Ela está limpa, nova, branca. Continuamos pecadores miseráveis, sim. A única coisa que diferencia um crente em Jesus de um incrédulo não é a ausência de pecado, mas sim, o sangue que foi posto sobre um e não sobre o outro. E quando Deus olha para este homem sujo de sangue, ele não vê pecado, pois sua ira fora satisfeita. Louvado seja o SENHOR, e a Seu Filho amado, pela Obra da Redenção!!!

Isso me lembra que eu devo dizer algo a três grupos de pessoas:

1) A você que crê em Jesus, por mais que te atormentem os seus pecados, legalmente você está livre. Legalmente não existe condenação sobre ti. Descanse na promessa da Redenção. Não digo descanse, como se dissesse “não busque viver em santidade” ou ainda “não se incomode com o seu pecado”, pelo contrário. A marca de um verdadeiro salvo é sua luta por perfeição, é sua guerra contra o pecado que habita em si mesmo. O que eu estou dizendo é que você deve entender que todos os seus pecados já foram perdoados na Cruz! E isso não pode ser tirado de você. As circunstancias, dores, os males, os anjos maus a serviço do Príncipe das Trevas, todos eles tem nenhum direito de te condenar ou de te tirar o perdão. Ele foi comprado por Cristo, e na autoridade e poder de Cristo é que lhe foram outorgados. Queira Satanás ou não, “ninguém intentará acusação contra os eleitos de Deus”.

2) A você que não crê, que vive como se não estivesse em oposição a Deus. Pare de desperdiçar sua vida. Acorde de sua cegueira, arrependa-se. E por que isto é tão importante? Pois todos os que não creem em Jesus não recebem os benefícios da Cruz. Se você não crê, isto é, se você ainda não se arrependeu, e tornou-se para Deus e Sua Lei, você está em oposição a Deus e sobre você está a IRA dele! Não espere até a porta da graça se fechar e você abrir os olhos na eternidade sem Cristo, sem estar sujo de sangue! Pois você enfrentara aquele cujos olhos são como chama de fogo! Terá que prestar contas diante do Juiz de toda a Terra! E, sem Cristo, será indesculpável, restando para você o fogo eterno do inferno!

3) A você que é um homem ou mulher religioso, vai a igreja, vive externamente como cristão; já foi batizado, participa da Ceia do Senhor, enfim. Para você mesmo, e talvez aos que estão ao seu redor, você seja um cristão. Mas você pode estar enganado. Eu não ousaria deixa este grupo de pessoas passar. Isso por que eu creio que ele seja um dos mais numerosos. No Brasil estamos vendo um crescimento estrondoso da religião evangélica, entretanto, devo afirmar que não está aumentando o número de pessoas realmente nascidas de novo. Pelo contrário, elas são raras! Permita ofendê-lo por um momento, você que é evangélico hoje no Brasil, mas por amor a Deus preciso faze-lo. A Lei e ao testemunho! Deixe-me dizer como fazem convertidos no Brasil hoje: – convida-se a pessoa a ir em alguma igreja com a desculpa de que Jesus pode mudar sua vida terrena. A pessoa, quando vai, o faz na expectativa de uma melhora de vida material. Seja um marido ruim, um emprego ruim, problemas financeiros, emocionais, na família, enfim, toda sorte de males desta vida. “Vem pra Jesus e sua vida vai mudar!” “Vem pra Jesus, e você que está desempregado conseguirá um emprego.” “Vem pra Jesus, e você será bem sucedido.” “Você nasceu pra vencer e Deus quer te prosperar.” “Aceite Jesus e veja sua vida transformada.” Todas estas frases fazem parte deste tipo de atitude e tentativas de conversão fantasiosas. – a Igreja colabora com este sistema ímpio e mundano dizendo ao pecador que se ele “adquirir”, sim, ADQUIRIR a Jesus, então ele dará solução aos seus problemas. Em raríssimas exceções, ou quase nenhuma, em muitos casos, a pessoa é levada a crer que ela tem um problema maior do que os que ela pensa que tem, a saber, que ela está em oposição e rebelião contra Deus. Pelo contrário, a Igreja MENTE a ela, sempre dizendo que Deus está do lado dela, e quer abençoá-la; basta ela conformar-se com duas ou três regras de conduta “evangélicas”, ir à igreja com certa frequência e pronto. E não digam-me que não é assim por que é exatamente isso que acontece. Conscientes disso ou não, nos ESQUECEMOS o que é conversão, arrependimento e salvação. Mas ainda tem mais – depois disso, a pessoa vai a Igreja, ouve a mesma pregação centrada não em Cristo, sua Soberania e o problema do pecado, a convocação geral de Cristo para indivíduos e nações submeterem-se a Sua Lei, mas nas suas necessidades terrenas. No fim, ela é convidada a fazer uma oração induzida, a famigerada e terrível “oração do pecador”. É convidada a dar uma chance pra Jesus mudar a sua vida (!!!!). E, se ela fez a oração pela primeira vez, é convidada a ir a frente. Senão, está apenas afastada. Basta fazer de novo e voltar pra Ele. Para os evangélicos de hoje, este é o rito de passagem. Por um passe de mágica, a pessoa agora é declarada crente, convertida! Que loucura! Não existe heresias tão terrível quanto essa! – uma vez “salva” a pessoa é, então, batizada, sem qualquer entendimento do que é ser um convertido, apenas crendo e esperando que Jesus mudará sua vida… aqui na terra e que, por algum motivo, por estar na Igreja, ela um dia irá para o céu. E assim tem sido, semana após semana; legiões de novos crentes se formam assim. Avalie hoje, você que lê este texto, se você não é um deles. A santidade na vida crista é algo sério? O padrão de exigência para ser cristão é seríssimo! Você precisa odiar o estilo de vida do mundo. Ser cristão não é apenas não beber, fumar, matar ou roubar. Não! Olhe pare si e veja quão ímpios são seus pensamentos! Veja quantos mandamentos você transgrede numa só conversa informal, num só programa de TV que assiste, em um rápido pensamento que passa pela sua mente! Essa geração de crentes de hoje sequer sabe disso. Sequer entendem a seriedade disso! Vivem como se esses pecados, quando o são reconhecidos como tal, fossem nada! E isso por que? Por que eles foram levados a crer que são nascidos de novo quando NÃO são! Deus, será difícil perceber isso? Se os evangélicos no Brasil hoje são mais de 20% por que não mudamos este país? Se com 120 pessoas cheias do Espirito Santo o mundo foi abalado na época dos apóstolos, por que nós hoje com milhões não conseguimos fazer isso? Ficou, por acaso, o Espirito Santo mais fraco? Ou seria o poder dos poderes, o qual ressuscitou Jesus dos mortos, não tão grandioso como outrora? Não. A resposta é que há poucos, pouquíssimos que realmente entendem, compreendem, que realmente foram lavados com o Sangue do Cordeiro. Isto precisa ser dito. E o foi. Oro a Deus para que você entenda, e não tenha vergonha de se arrepender e se precisar, assumir que mesmo depois de anos de igreja, até de ministério, você jamais foi convertido.  Eh melhor nos humilharmos agora, do que enfrentar a Ira do porvir!

Paz!

Publicado em Estudos Bíblicos, Sermões | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Um argumento

Quero falar não da religião, nem do “rótulo” cristianismo, mas sim do verdadeiro cristismo. Falo como alguém que conheceu a religião e o rótulo cristão, e acabou o deixando. Porém conhecer o cristianismo, ter esse rótulo, não significa necessáriamente ser cristão. Estou bem certo de que qualquer um que tenha conhecido, não somente a igreja cristã, mas sim a Cristo, pessoalmente, jamais desejará deixa-lo. Não se baseando em regras, nem em leis, nem em palavras de homens, mas sim em resultados práticos. Não estou falando de “milagres”, de curas mirabolantes ou coisas semelhantes. Estou falando de algo que só em Cristo é possível, nascer de novo. Literalmente ter uma nova vida. Alguns anos depois de deixado a igreja, vim conhecer a Jesus Cristo, pessoalmente, conhecer a Deus e ter intimidade com Ele. De uma forma inexplicável, Jesus transforma, transforma o carater, de maneira tão profunda que não consigo nem explicar! Hoje tenho verdadeira liberdade, liberdade que não encontrei em lugar algum, Jesus abriu meus olhos!

Há algo de diferente em alguém que conheceu a Jesus pessoalmente, que entregou sua vida a ele. Não algo diferente de forma subjetiva, mas de forma prática! Jesus transforma o interior do homem de maneira que religião ou ideologia alguma transforma.

Eu poderia apresentar inúmeros argumentos para tentar justificar o cristianismo, mas há um argumento empírico que quero deixar para você: Jesus tranformou a minha vida, e pode transformar a sua também, basta entregar seu coração a ele.

Publicado em Testemunhos | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

Eleição e Cosmovisão Cristãs

Como a Eleição mudou minha perspectiva sobre Salvação, sobre Cristo, sobre o Homem e sobre a Igreja.

Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama)

Romanos 9:11

O que é eleição? Segundo a doutrina reformada histórica, entende-se por eleição o ato soberano de Deus ocorrido antes da fundação do mundo, no qual Ele, contemplando a raça humana caída resolveu escolher para si um povo. Elegeu dentre os homens incontáveis multidões, a fim de os chamar, regenerar, santificar e, por fim, glorificar quando da ocasião de seu retorno.

Hoje, uma vasta maioria dos crentes rejeitou e se afastou deste pensamento, embora até algum tempo atrás ele fosse maioria entre as Igrejas Protestantes. Vê-se, porém, um retorno a esta doutrina da parte de muitas pessoas, em especial muitos jovens. O motivo? Bom, se posso inferir algo, eu diria apenas que é porque esta é uma doutrina bíblica, e Deus está para trazer um grande retorno às Escrituras em nossos dias.

A mudança que ocorreu comigo não pode ser resumida a uma troca de detalhes. Foi algo radical. Toda uma cosmovisão tem sido mudada e realinhada. Não é apenas crer nos cinco pontos arminianos e passar a crer nos calvinistas. Nem tampouco trocar Eleição Condicional por Eleição Incondicional. Não é uma questão de adicionar ou retirar prefixos. Quero deixar a você que lê este texto às bênçãos e mudanças que a doutrina da Eleição trouxe em minha vida.

Salvação

Um dos fatos que leva muitos a rejeitarem a doutrina da Eleição é o fato de que esta vai de encontro a uma perspectiva errada de Deus partilhada por uma gama enorme de crentes hoje em dia. Eles creem que Deus seria injusto se escolhesse salvar uns e não outros. Afirmam, por isso, que Deus quer salvar a todos, e que torna esta salvação alcançável a todo ser humano. Este deve, então, usar de seu livre-arbítrio com o fim de aceitar ou recusar tornar-se para Deus. Eis alguns problemas com esta visão:

  • Como explica-se o fato de nações inteiras terem nascido, se desenvolvido e desaparecido da face da terra sem sequer ouvir do Evangelho? Que oportunidade tiveram eles de ouvir sobre Cristo?
  • Como se coaduna esta ideia ao fato de que Deus é o Autor e Consumador de nossa fé? Se eu aceito ou rejeito a Cristo, então minha salvação foi baseada na minha escolha. Sem desejar, os que assim creem estão suportando um pensamento que rouba a glória de Deus.
  • Como se coaduna isto à pura doutrina que todo cristão sincero deve professar, a saber, a doutrina da Expiação Substitutiva, ou seja, de que Cristo levou a Ira de Deus na Cruz pelos nossos pecados e desde então eles foram perdoados. Se assim for, como pode Deus ter levado os pecados de toda a humanidade e condenar ao inferno os que não aceitarem? Como ficam os que “aceitaram” e se desviaram? Esta pessoa será condenada pelo que? Se uma vez crido os pecados não foram perdoados, destrói-se o Evangelho. Se foram, então fica difícil crer numa doutrina que ensina que eu tenho liberdade de me ligar ou desligar a Cristo quando eu bem entender.
  • Como explicar a esperança que há em mim, se eu sequer posso estar certo de que amanhã continuarei sendo crente?

Estes são somente alguns exemplos de como minha cosmovisão anterior era frágil, pois não achava respostas sinceras e bíblicas para estas perguntas. Hoje enxergo mais claramente o quão tremenda é a soberania do nosso Deus! Quão inescrutáveis são seus caminhos! Enxergo mais claramente o amor com que Ele me amou. Não fui salvo por que eu decidi ou por que eu aceitei. Fui salvo pela Sua grande graça e misericórdia. Hoje eu afirmo com o salmista sem medo “Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.” (Salmos 139:16)

Agora percebo com mais clareza a necessidade urgente se proclamar o Evangelho aos quatro cantos desta terra, pois o ser humano nasce perdido e condenado, sendo o Evangelho a sua única chance dele vir a conhecer liberdade e salvação. Percebo que, se nações inteiras foram derribadas sem ouvir de Cristo, Deus é justo e em sua justiça as condenou. Valorizo portanto, cada vez mais, o fato de eu ter disponibilidade de ouvir e falar do Evangelho. Isso é graça!

Cada detalhe da existência deste universo foi criado e preordenado pelo Deus que creio. Sim, Deus é um kyrios despotes, um Senhor Soberano, sim, um déspota! Faz tudo conforme lhe apraz. Que bom é confiar em sua vontade e amor! Assim, afirmo com Paulo que ninguém jamais resistiu a sua vontade! (Romanos 9:19).

Glorifico a Deus agora pela minha Salvação. Não tenho parte nenhuma nisso. Não tivesse Ele me escolhido estaria em trevas até então. Os eventos que me trouxeram até aqui são frutos de Sua soberana vontade! A cada passo que dou estou cumprindo Sua vontade. Mesmo os pecados que cometo. Sim, tudo predestinado, para Sua glória. Que Ele cresça e eu diminua. Que prevaleça a vontade dEle, e não a minha. Esta é, sim, a oração que sempre será respondida. Louvarei ao grande EU SOU eternamente, pois mesmo sendo pó, mesmo sendo nada para que Ele em sua majestade se importasse comigo, hoje eu posso dizer que pelo sangue do Seu Cordeiro eu sou livre da condenação que EU merecia. Eu não escolhi isso, pois mortos não escolhem coisa alguma. Eu estava morto em meus pecados e delitos. Mas o Espirito de Deus cumpriu o decreto eterno e meu deu vida, levando-me a crer. Aleluia!

Cristo

Quem é Cristo? O que Ele veio fazer? Hoje posso crer que Jesus veio fazer o que se propôs a fazer. Ele veio com uma missão e a cumpriu. Não veio esperando salvar a humanidade. Ele veio salvar a todo o que nEle crer. Veio cumprir o que determinou o Pai desde a Eternidade, Veio morrer pelos pecados de Sua Igreja. Posso dizer como Isaias que “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniquidades deles levará sobre si.” (Isaías 53:11)

Homem

E quanto ao homem? Que parte cabe ao homem na cosmovisão bíblica? Davi responde “Que é o homem mortal para que te lembres dele?” (Salmos 8:4). Somos nada! Somos pó! Mortos, inclinados eternamente para o mal! Entenda isso! Em nenhum lugar as Escrituras dão a entender que temos a capacidade de julgar entre o bem e o mal de forma neutra e escolher, livremente, praticar o bem, inclinar nossa vontade para Deus. Hoje entendo que nada fui nem nunca nada serei. Tudo o que tenho, tudo o que sou, vem de Ti, Senhor!

Igreja

Na cosmovisão arminiana, Deus apenas sabe quem se salvará, pacificamente. A Igreja é, então, como um barco que convida a todos o que de fora estão se afogando a entrar. O destino deste barco é o céu. Os que livremente entram no barco, pode livremente sair dele.

Muito tentadora esta concepção, porém, não é o que diz a Escritura. A Bíblia fala da Igreja como um edifício, o qual o próprio Cristo constrói. As pedras deste edifício são os crentes, os regenerados, nascidos de novo. Também diz a Palavra que ninguém nasce de novo caso não seja esta a vontade de Deus. Diz que a fé, que é o meio da nossa Salvação, não vem de nós, vem porem de Deus. Qual é o meu e o seu papel nisso? Nenhum.

A Igreja é a Noiva do Cordeiro, eleita desde antes da fundação do mundo, por quem Ele deu a vida, e por quem pagou com sangue os seus pecados. Esta Igreja era conhecida por Deus desde sempre. Sua extensão foi determinada uma vez e jamais será mudada. No fim, o trabalho estará completo, e o homem não terá influído em nada. Nem mesmo um centímetro da obra e do plano original foi mudado ou impedido, muito menos atrasado.

Espero que esta reflexão possa ter ajudado a compreende melhor o que é eleição e como essa maravilhosa doutrina influi na cosmovisão crista. Paz de Cristo a todos!

Publicado em Estudos Bíblicos, Testemunhos | Marcado com , , , , | 4 Comentários

Do Coração

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida.

Provérbios 5.23

É incrível o quanto a Palavra de Deus é rica! Sem dúvidas o Deus Vivo nos deixou uma palavra viva!

Para compreendermos um pouco da profundidade deste texto, vamos recorrer a outro texto que fala sobre o coração:

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o poderá conhecer?

Jeremias 17.9

A coisa mais importante que o homem deve saber sobre si mesmo, é que é perverso. Do meu e do seu coração brotam as coisas mais enganadoras há! Ao confiarmos naquilo que brota de nossos corações, e seguir obstinadamente como sendo a verdade corremos apressadamente para longe de Deus. Ele mesmo conhece nosso coração, e sabe que é uma verdadeira arapuca, quase sempre muito convincente. Queridos irmãos,

Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal. Isso será saúde para a tua carne; e refrigério para os teus ossos.

Provérbios 3.5-8

Assim, precisamos nos guardar de nossos corações, afinal, nele está a porta de saída para a vida, e a vida é Cristo!

Como posso viver em paz esmurrando diariamente meu coração?!

Como comentei no início, a Palavra de Deus é viva, e muito rica, vejamos:

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida.

Provérbios 5.23

“Mas… esse é o mesmo texto…”. Pois é, é o mesmo texto… Para compreender o que quero dizer, leia este mesmo texto na tradução Nova Bíblia Viva:

Acima de tudo, meu filho, cuide bem do seu coração porque dele depende toda sua vida

Se endurecermos nosso coração e nos apoiarmos no nosso próprio intendimento, diremos que há uma incoerências na traduções, já que um texto afirma uma coisa, e em outra tradução outra totalmente diferente. Não! A Palavra do Deus Vivo é Viva também, e de rica que é, pode ser explorada em situações distintas, mantendo a fidelidade. Compreender que meu coração é inclinado para o mal e procurar me afastar de suas armadilhas não significa viver de mal comigo mesmo. Muito pelo contrário, compreendendo isso diante de Deus podemos encontrar a verdadeira paz em nossos corações, e através dele nosso coração é moldado e refrigerado!

Mas eu confio na tua benignidade; o meu coração se regozija na tua salvação. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem.

Salmos 13.5-6

É fantástico saber que em Deus, pela sua terna bondade, acalenta nosso coração. O coração desviado para o mal, mas amado e restaurado pelo Salvador! Só assim podemos viver uma vida em abundância.

Se teu coraração estiver em paz,
bem feliz e alegre a vida passarás.
Se teu coração estiver em paz,
verás que um arco-íris cada nuvem traz.

O coração em paz – Lizzie De Armond/Bentley DF.Ackley (347 Cantor Cristão)

Viver com Deus é viver em paz, é o verdadeiro cuidado do coração, disso é que depende nossa vida!

Publicado em Devocional, Poesias | Marcado com , , , , , | 1 Comentário

O Último dia da Festa

No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado.
João 7:37-39 (ARA)
Era a Festa dos Tabernáculos em Israel. Um tempo em que, alegremente, todo aquele povo aglomerava-se em Jerusalém para as celebrações costumeiras. O “sucot” ou Festa dos Tabernáculos ou Cabanas é a celebração judaica em memória dos quarenta anos que se seguiram à saída do povo de Israel do Egito. Você deve lembrar bem que neste tempo Israel não tinha habitações fixas, antes, andavam errantes, e andavam pelo deserto.
Antes que esta especial celebração terminasse, que a alegria da diversão se esvaísse até o próximo ano ou até a próxima festa, Jesus aproveitou-se da oportunidade, com todo o seu simbolismo, para publicamente proclamar o que acabamos de ler em nosso texto. É de se notar que a festa dos tabernáculos remonta ao exílio no deserto após o êxodo, e de que Jesus faz uma promessa que tem exatamente a ver com este assunto: ele promete água!
Onisciente que era, nosso Senhor certamente conhecia a necessidade mais interior do homem. Ele olhava aquela multidão de pessoas celebrando naquele lugar, diante do Templo de Jerusalém e certamente não olhava o exterior delas. Ele via seu interior. Por fora, alegres e dançantes, conjecturo eu, afinal, era uma festa. Por dentro porém, lhes faltava algo. Eles estavam secos, peregrinando por um deserto infinito, o deserto espiritual em que se encontra todo aquele que não tem Deus.
Sabedor que era desta necessidade, Jesus então surpreende a todos e, antes que partissem, ele proclama em alto e bom som aquela que é a essência da mensagem, o convite do evangelho:
 
Se alguém tem sede, venha a mim e beba
O que será que se passou na mente do povo ao ouvir estas declarações? Que questionamentos? Quais indagações? Jesus então continua, e elucida sua afirmação inicial:
 
Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.
Que rios? Que águas? Do que falava Jesus? Por que não ser mais claro!? Sem dúvida, afirmo, Jesus não poderia ter sido mais claro. Aqueles que estavam cônscios de sua própria sede, que sabiam que necessitavam que alguém os acudisse, sim, os eleitos de Deus, os que haviam de ser salvos, esses sim entenderam perfeitamente o que Jesus queria dizer.
Jesus falava do Espírito Santo. E ao dizer isso, intrinsecamente ele falava da Salvação – pois sabemos que o Espírito só habita nos salvos. João, o autor do evangelho, explica “Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem”. Quero expor hoje alguns ensinamentos de Jesus que podemos extrair das Escrituras com respeito aos “rios de água viva” que fluiriam do interior daqueles que cressem. Com respeito a isso, alguns questionamentos podem surgir:
  1. Que são estes rios?
  2. Como posso saber se ele está presente em mim?
  3. Que espécie de obra ele opera em nós?
  4. Como posso receber estes rios dentro de mim?
  1. Que são estes rios?
O primeiro ensino que desejo expor é a natureza real dos “rios de água viva”. João mesmo nos explica que estas águas que certamente saciariam a sede dos que cressem simbolizavam o Espírito Santo. A promessa de Jesus era de que Ele seria glorificado, mas através do Espírito Santo, habitaria em nós, juntamente com o Pai.
A presença interior do Espírito Santo é a certeza que o crente possui de sua filiação. É o selo, a marca que atesta nossa eleição em Deus. Não se engane. O Espírito jamais habitará a quem Deus não elegeu. E aos que elegeu, não só habitará, mas o preservará finalmente, apresentando-o santificado e digno de ouvir “vinde benditos de meu Pai” da boca do Mestre. Este Espírito é aquele que, no tempo oportuno, regenera o coração do homem caído, o chama eficazmente e concede a ele fé para que possa crer. Este Espírito vem então habitar no crente, operando uma obra de completa transformação, isto é, santificando o crente, capacitando-o cada vez mais a vencer o pecado, e formando o caráter de Cristo em Sua Vida. Este Espírito testifica ao crente sua filiação. Não o deixa perecer. Mesmo no dia mais nebuloso, no meio da mais forte tempestade, o Espírito Santo guia nossos olhos para o Autor e Consumador da nossa fé, que é Jesus Cristo.
Este é o “outro Consolador” prometido por Jesus. Ele está conosco nas horas mais difíceis, e nas fáceis também! É aquele que intercede por nós, pois não sabemos como se deve orar. É aquele que livra nossos olhos de sua própria concupiscência, que nos fortalece quando o pecado vem como um algoz a nos tentar fazer negar a Cristo. Este Espírito, é, aliás, aquele que nos levanta quando cedemos a tão terrível tentação e, mesmo estando sujos pelo pecado, ele tem o remédio: nos mergulha no sangue de Jesus derramado na Cruz, e ao levantar, estamos limpos outra vez. Este Espírito glorificará sempre Aquele que deu a vida por nós, Jesus Cristo. Nos conduzirá a Ele, a crer nEle, a confiar nEle, a descansar nEle. Este Espírito fluirá em nós, e através de nós, para não somente benefício nosso, mas para tantos quantos estiverem ao nosso redor.
  1. Como posso saber se ele está presente em mim?
Um questionamento comum que atormenta diariamente muitos cristãos sinceros é este: sou verdadeiramente um filho de Deus? Sou salvo? Sem dúvida esta questão transcende a barreira entre calvinistas e arminianos. É infantil afirmar que calvinistas tem certeza da salvação por que creem na eleição incondicional e perseverança dos santos e os arminianos, por não entenderem assim, não tem esta certeza. Segurança é uma benção, uma graça que advém tanto a arminianos como a calvinistas; e como uma graça, uns podem possuí-la em alto grau, outros nem tanto. Uns, mesmo a tendo, podem perdê-la por um tempo, devido a alguma tempestade, mas, com tudo isso, o que quero que entendam é que a certeza de nossa salvação advém da certeza da presença do Espírito em nós. Por isso, é válida a pergunta: como saber se ele está em mim?
Vamos tentar responder a esta pergunta, mas não sem antes pontuar sobre um assunto que, creio, trará alívio a muitas almas. Vejamos alguns dizeres do Apóstolo Paulo:
 
Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.
Romanos 8:29-30 (ACF)
É de fundamental importância que a Salvação é garantida para todos os eleitos e predestinados em Cristo, quer eles saibam disso ou não, quer eles tenham segurança ou não. Portanto a você, irmão, imerso em dúvidas, não desejo que Satanás ardilosamente enfraqueça sua fé. Confie em Cristo, só nEle. Isto lhe será por garantia de salvação, ainda que seus pecados lhe assombrem e, como convém a um santo, você não veja bem algum em si, e tenha dificuldades de sentir certeza de sua salvação, não temas. Saiba que aquele que lhe conheceu desde antes da fundação do mundo, na eternidade, este mesmo o glorificará, também na eternidade. De eternidade a eternidade, se encontra o propósito de Deus na salvação do homem. Aleluia!
Voltemos agora à nossa questão primordial: como saber se o Espírito habita em nós. Em primeiro lugar, como já expliquei, o fato de termos dúvidas não é indício de que Ele não habite em nós. “Há incredulidade até em nossa fé”, disse Spurgeon. Tal qual a nascente de um grande rio é tímida em meio a densas árvores, e do alto talvez não a enxerguem, isso não é indício de que a nascente e o rio não existam. Assim também, gradativamente, a obra do Espírito Santo se fará conhecida em sua vida, mais rapidamente à vista dos outros, talvez, do que à sua própria vista.
Jesus disse “quem crer em mim do seu interior fluirão”. Sem dúvida, estas palavras do Mestre devem soar como alento, um descanso para nós. E por quê? Pois ele afirmou, sem deixar sombra de dúvida, de que o Espírito estaria presente na vida de todos aqueles que cressem! Se você deseja saber se o Espírito habita em você, se ele flui em sua vida, examine-se a si mesmo: você crê em Jesus? Você entende, e confia na obra de redenção que Ele realizou por você? Você sabe que não habita bem algum em você, e não fosse pela graça de Deus você estaria perdido em seus próprios pecados? Você, mesmo cheio de dúvidas e assombrado pelos seus pecados, que lhe ferem e lhe fazem sentir o mais miserável dos homens, mesmo assim, quando dobra-se diante do Pai sabe pedir perdão e sua única garantia e confiança é a Cruz e o que ela representa? Sim, meu irmão; se a sua resposta a isto é “sim”, então você crê. E se você crê, você tem o Espírito Santo. São palavras de Jesus, e não minhas.
Vale aqui dizer, neste ponto, algumas palavras com respeito a um engano comum nas igrejas de hoje, em especial nas carismáticas e pentecostais. Reconheço o saldo positivo do movimento pentecostal/carismático. Sou um de seus “filhos”. Creio na atualidade dos dons do Espírito Santo. Entretanto, há um aspecto na teologia pentecostal que traz um fardo desnecessário para muitos crentes. Desnecessário e antibíblico. É uma tricotomização da raça humana; Quando, na verdade, a Bíblia a divide em duas partes, a saber, salvos e perdidos, eleitos e réprobos, os que tem fé para salvação e os incrédulos, os que tem o Espírito Santo, e os que não têm, os pentecostais insistem em dividir os homens em três grupos, a saber, os não salvos, os crentes ainda não batizados com o Espírito Santo e os crentes mais fortes, revestidos de poder, isto é, os batizados com o Espírito Santo. Devo afirmar que a Escritura não apoia tal distinção. Atente às palavras de Jesus hoje: “quem crer”, ele disse. Quando você crê, o Espírito vem habitar em você, e basta. Muitos por não falarem em novas línguas são como que segregados em algumas igrejas. Vez ou outra referem-se a eles como se lhes faltasse algo, quando não lhes falta nada! Não se deixe levar por essa ilusão. As palavras de Jesus Cristo no último dia da festa garantem a você, meu irmão: se você crê, você possui o Espírito Santo habitando dentro de você. Dons são acréscimos, não para todos. Uns tem um dom, outros tem outro dom. Uns tem dons externalizáveis, outros não. Mas de todos, garanto-lhe, fluirão rios de água viva!
Outro aspecto que nos prova a presença do Espírito Santo em nós é sem dúvida o fruto que esta presença produz. Vejamos o que disse o Apóstolo Paulo a respeito deste assunto.
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Gálatas 5:22 (ACF)
 
Amado irmão, queres ter prova inconteste da ação do Espírito em sua vida? Pare agora e examina-te a ti mesmo. Busque em sua vida o menor resquício da presença destes frutos. Busque, não uma presença estática, mas algo dinâmico. Algo que vem se desenvolvendo. Avalie-se você mesmo a alguns meses atrás. Avalie o estado de sua alma durante este período. Houve crescimento?
Você ama mais? Sente uma necessidade de escolher fazer algo pelos perdidos e necessitados deste mundo? Ainda que neste amor haja apatia e falta de coragem para agir no começo, ou certa timidez. Este amor existe? Existe, ainda, um amor por Deus como não havia dantes? Você tem se inclinado e desejado conhecer mais a Deus, e à sua Palavra? Tem buscado relacionamento mais profundo com o Pai? Tem buscado estar mais longe do pecado, ainda que a presença dele o faça sentir-se longe de Deus muitas vezes, e te leva a pensar que não amas a Deus?
Você sente uma nova alegria dentro de você? Mesmo na tempestade da vida, quando por vezes seu barco aparenta estar indo a pique, quando você peca e passa pela sua mente “agora foi o fim, não há mais perdão para mim”, ainda assim há algo que te impele a buscar em Deus o perdão e, confiando na obra da Cruz, feita por Cristo, você enche-se de alegria por tê-lo recebido? Isso é para você a força motriz para continuar a dura caminhada?
Mesmo sabedor de que em ti não habita bem algum, você sente paz com Deus? Confia que Jesus Cristo lhe comprou esta paz com Seu sangue, ao suportar sobre Si a ira divina, ira que era destinada a nós? Esta paz que advém do perdão lhe impulsiona a ser alguém mais longânimo, ou seja, perdoador, alguém que preza pela paz e boa convivência, que suporta quieto os defeitos dos outros? Tens percebido um desejo de ser bom com o próximo? Teu coração dói mais quando sequer lhe passa pela cabeça a possibilidade de teres ferido alguém?
Cristo é sua Rocha? Você confia nEle de todo seu coração? Confia que não sendo você portador de bem algum, sua única esperança é depositar nEle toda a esperança? Esta é sua fé? Centrada em Cristo?
Tens percebido uma inclinação para mansidão no teu caráter? Você, ainda que no íntimo, odeia contendas, brigas, rixas e dissenções de qualquer tipo? Mesmo com suas falhas, percebe este comportamento em seu ser?
A temperança, e o desejo por ela tem se tornado realidade em sua vida? Tem buscado ser mais moderado em qualquer hábito? Tem lutado contra sua própria carne para vencer os desejos perversos, sensualidade, hábitos ruis, enfim, tudo o que é mau aos olhos do Senhor?
Se estes frutos estão persentes em tua vida, meu irmão, tome por certo que o Espírito está trabalhando em ti. Mas preciso te alertar. Talvez você veja um ou outro fruto com certa dificuldade. Talvez tenha ficado na dúvida ao responder sim. Mas saiba que a obra do Espirito é gradual. O homem santificado tem sim dificuldades de ver esta obra em si mesmo no início. Não se iluda de que por que você falha em um destes pontos você não tem o Espírito. Não! Posso te afirmar que feliz é aquele que sempre sabe que falha constantemente em todos estes pontos! A questão não é se você é completamente longânimo ou temperante, ou manso e fiel. Ninguém o será até sermos glorificados. A questão é: a falta disso dói em sua vida? Você luta para crescer em santidade? Percebe a ação do Espírito em frutificar estas virtudes em ti ainda que de forma tímida? Se a resposta a estas perguntas forem sim, então alegre-se em ver que o Espírito está trabalhando em você.
  1. Que espécie de obra ele opera em nós?
então ele [Deus] nos salvou – não porque fôssemos suficientemente bons para sermos salvos, mas por causa da sua bondade e compaixão, pelo lavar regenerador e renovador dos nossos pecados por meio do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós com maravilhosa abundância – e tudo por causa daquilo que Jesus Cristo, nosso Salvador, fez, a fim de que ele nos pudesse declarar justos aos olhos de Deus – tudo por causa da sua grande graça, tornando-nos seus herdeiros. E agora podemos participar da esperança da vida eterna que ele nos dá.
Tito 3:5-7 (Nova Bíblia Viva)
 
Lavar regenerador e renovador do Espírito Santo. Estas palavras resumem a resposta ao questionamento em questão: “Que espécie de obra o Espírito Santo opera em cada pequenino cristão?” Mais uma vez sendo representado figurativamente como água, nos é dito que o Espírito Santo nos lava. E esse lavar produz em nós dois resultados, a saber, a regeneração e renovação interior.
Antes de ser chamado eficazmente pelo Espírito Santo, o crente era alguém cego, miserável, caminhando sem aviso para um abismo sem fim, tendo vendada sua visão, para que não visse, e sua audição, para que não ouvisse. Morto em seus pecados, imerso em iniquidade. Abertamente em oposição a Deus e a Seu Cristo. Merecedor de justa condenação. Sem conhecimento de Deus ou vontade de segui-lo, sequer se dava conta de sua pecaminosidade.
Todo este terrível quadro é transformado por completo quando o Espírito Santo vem habitar nesta pessoa. De imediato, e sobrenaturalmente, este ser totalmente averso a Deus e amante de seus pecados, agora é regenerado. Esta palavra quer dizer “gerado novamente” ou “nascido de novo”. Agora, conforme a vontade de Deus, este homem nasce espiritualmente. Onde havia o silêncio de indiferença, pois não havia vida, agora há choro de arrependimento, pois não há mais morte, e sim vida, e vida em abundância. Uma dor imensa pelo seu pecado é gerada nele. A urgente necessidade de um Salvador fica para ele evidente. Não lhe resta opção nenhuma a não ser render-se aos pés de Cristo, depositar nEle suas esperanças de salvação, ter fé. De um ser avesso a Deus, opositor e em constante rebeldia a Ele, passamos a correr a Seus pés em busca de perdão e reconciliação, confiando não em nós, pois sabemos que bem nenhum habita em nosso ser, mas confiando sempre no Autor e Consumador da nossa fé, Cristo Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, Sumo sacerdote eterno, tendo feito sacrifício suficiente para lançar longe nossos pecados. Isto é ser regenerado. É o começo da obra do Espírito Santo em nós.
A regeneração é a maior obra, ou milagre, que Deus, através do Espírito Santo, pode operar na vida de um ser humano. Nos foi dito, através da exposição da Palavra, que Deus nos dá esta benção graciosamente, sem haver nenhum merecimento ou obra de justiça que creditasse mérito em nosso favor. É o gatilho inicial da Salvação do homem. É quando Deus opera o “querer”. É também quando Ele “começa a boa obra”, ou ainda quando age como “Autor” da nossa fé. E, de tudo isso, podemos dizer que nossa Salvação será completada quando ele operar o “efetuar”, “terminar a boa obra” e tornar-se o “Consumador” da fé. Grande é esta esperança. Louvado seja Jesus Cristo por tão grande Salvação! (Filipenses 2:13, 1:6 e Hebreus 12:2).
Outrossim, também nos é dito que o Espírito Santo renova nosso ser. Após nos regenerar, e até que Cristo venha, o Espírito tem trabalhado em cada servo de Cristo. Diariamente, ele nos renova, isto é, nos capacita a obedecer a Lei de Deus. Hoje, neste exato momento, o Espírito Santo está trabalhando em cada cristão verdadeiro a fim de o santificar, a fim de fazer com que Cristo cresça em sua vida, e ele diminua. Diariamente somos levados ao arrependimento, cada dia mais profundo. Constantemente somos levados a buscar conformar nossos hábitos com Jesus, a andar como Ele andou. Sim, falhamos, mas o poder de Deus se aperfeiçoa em nossas fraquezas!
Ah leitor, cuide para que seu coração não venha crer que algo seja maior do que este milagre, o renovo do Espírito. Curas, livramentos, ressurreição de mortos, dons, e tudo mais que Deus possa fazer e operar em meio a seu povo, tudo isso não se compara ao milagre diário que se dá em nós: a santificação de um pecador.
Busque esse milagre cada dia, não descanse enquanto ele não começar a ser visível, e continue a lutar até o dia de Cristo. Não se engane. Nós cooperamos com Deus em nossa santificação. Justificação é um ato de Deus, onde Ele nos declara justos por causa do que Cristo fez na Cruz. Santificação é um ato de Deus, evidente, porém, ele alegra-se que seus filhos esforcem-se para obtê-las. “Portanto, meus amados, como sempre tendes obedecido, não só na minha presença, mas também particularmente agora na minha ausência, operai a vossa salvação com temor e tremor, pois é Deus quem opera em vós o querer e o operar, segundo a sua vontade.” (Bíblia de Jerusalém – grifo meu). Não permita que a apatia tome conta de si, ou espere que seus pecados desapareçam espontaneamente. Atue com Deus em sua santificação.
Existem ainda dois elementos, dua graças, por assim dizer, que precisam ser postas em exercício em nossas vidas, e são resultado inerente do lavar regenerador e renovador do Espírito Santo: arrependimento e fé.
Arrependimento é profunda tristeza e contrição de coração pela sua pecaminosidade e/ou pecado particular. O arrependimento deve nos tornar a Deus, humilhados, crendo que dEle, por Cristo, receberemos perdão. Precisamos crescer em arrependimento diariamente, estando cada vez mais cônscios de nossa pecaminosidade. Duvide de seu cristianismo o dia em que você não enxergar com facilidade a indignidade e podridão que é inata ao seu ser. Quanto mais perto estamos de Deus, e quanto mais o conhecemos, maior torna-se nosso arrependimento, ou seja, mais conscientes somos de quão merecedores da ira éramos, e de quão grande obra Cristo operou por nós.
Fé é a confiança em Cristo e em sua obra redentora. Deus, em sua graça, dotou seus eleitos com fé para a Salvação. A fé é uma graça que admite crescimento. Busque a cada dia crescer em fé, confiar e depender de Cristo cada vez mais, em cada aspecto, por menor que seja, do seu viver. Dependa de Cristo, confie em Cristo, entregue todas as suas fraquezas e dificuldades a Cristo, Não aja como incrédulos, confiando na força de seu braço. Não tente vencer o pecado sem Cristo. Não tente prosseguir em sua caminhada sem Cristo. Deixe Cristo ser tudo em sua vida.
  1. Como posso receber estes rios dentro de mim?
Esta é, para alguns, a parte mais importante de todo este texto. Talvez você tenha lido tudo até aqui de maneira passiva, sabendo de que nada disso é verdade em sua vida. “Coisa de crente”, você deve ter pensado. Entretanto, em meio a todas estas palavras sobre santificação, sobre a obra do Espírito, a esperança da Cruz, salvação e arrependimento, algo acendeu dentro de você.
Talvez, você começou a sentir a necessidade de perdão. Começou a avaliar seus hábitos e percebeu que eles não se encontravam em conformidade com os frutos do Espírito, mencionados acima no texto. Você começou a ter consciência de seus pecados, e também da falta que você tem. Você não tem estes rios fluindo dentro de você, concluiu. Se este é o seu caso, é a você que minha atenção e esforços se voltam neste momento. Não ache que foi em vão tudo o que leu ou sentiu até agora.
Quer saber como você faz para possuir o Espírito Santo em sua vida? Como fazer com que Ele faça morada em seu ser? Voltemos às palavras de Jesus na festa dos tabernáculos. Lembre-se, ele intencionava atingir pessoas como você, conscientes do deserto espiritual em que se encontram.
Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.
João 7:37 (ARA)
 
Quem crer, Jesus disse. Essa é a única esperança de um pecador desesperado pelo seus pecados: crer em Jesus. Alguns afirmam que não conseguem crer. Pois eu afirmo que isto é loucura. A única coisa que alguém fatigado pelo cansaço consegue fazer é descansar! Assim mesmo, ó pecador, apenas creia e descanse em Cristo! Reconhece seu pecado? Confie na obra que Jesus realizou. Tenha em mente o que esta obra fez, de modo claro:
Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. (…) Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si.
Isaías 53:5-6, 10-11 (ARA)
 
as iniqüidades deles levará sobre si”. Nos é dito aqui com toda clareza o que Jesus Cristo realizou na Cruz: ele retirou a culpa dos nossos pecados? E como? Lá na Cruz, o próprio Pai o feriu, despejando nEle o cálice de Sua ira. Toda a ira de Deus pelos nossos pecados, que levaríamos a eternidade suportando, Cristo a levou ali, em apenas alguns momentos. Não é de se espantar que ele, no Getsêmani tenha exclamado “se possível afasta de mim este cálice”, pois sabia que suportaria uma ira de magnitude infinita. Desta forma, maravilhosamente, quem crê em Jesus está unido a Ele, e os seus pecados não são mais levados em conta. O perdão foi comprado na Cruz por você. Creia, somente, e comece a viver uma vida com Cristo, e, como disse Jesus no último dia da festa, do seu interior fluirão rios de água viva!
Publicado em Devocional, Sermões | Marcado com , , | 1 Comentário