O Último dia da Festa

No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado.
João 7:37-39 (ARA)
Era a Festa dos Tabernáculos em Israel. Um tempo em que, alegremente, todo aquele povo aglomerava-se em Jerusalém para as celebrações costumeiras. O “sucot” ou Festa dos Tabernáculos ou Cabanas é a celebração judaica em memória dos quarenta anos que se seguiram à saída do povo de Israel do Egito. Você deve lembrar bem que neste tempo Israel não tinha habitações fixas, antes, andavam errantes, e andavam pelo deserto.
Antes que esta especial celebração terminasse, que a alegria da diversão se esvaísse até o próximo ano ou até a próxima festa, Jesus aproveitou-se da oportunidade, com todo o seu simbolismo, para publicamente proclamar o que acabamos de ler em nosso texto. É de se notar que a festa dos tabernáculos remonta ao exílio no deserto após o êxodo, e de que Jesus faz uma promessa que tem exatamente a ver com este assunto: ele promete água!
Onisciente que era, nosso Senhor certamente conhecia a necessidade mais interior do homem. Ele olhava aquela multidão de pessoas celebrando naquele lugar, diante do Templo de Jerusalém e certamente não olhava o exterior delas. Ele via seu interior. Por fora, alegres e dançantes, conjecturo eu, afinal, era uma festa. Por dentro porém, lhes faltava algo. Eles estavam secos, peregrinando por um deserto infinito, o deserto espiritual em que se encontra todo aquele que não tem Deus.
Sabedor que era desta necessidade, Jesus então surpreende a todos e, antes que partissem, ele proclama em alto e bom som aquela que é a essência da mensagem, o convite do evangelho:
 
Se alguém tem sede, venha a mim e beba
O que será que se passou na mente do povo ao ouvir estas declarações? Que questionamentos? Quais indagações? Jesus então continua, e elucida sua afirmação inicial:
 
Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.
Que rios? Que águas? Do que falava Jesus? Por que não ser mais claro!? Sem dúvida, afirmo, Jesus não poderia ter sido mais claro. Aqueles que estavam cônscios de sua própria sede, que sabiam que necessitavam que alguém os acudisse, sim, os eleitos de Deus, os que haviam de ser salvos, esses sim entenderam perfeitamente o que Jesus queria dizer.
Jesus falava do Espírito Santo. E ao dizer isso, intrinsecamente ele falava da Salvação – pois sabemos que o Espírito só habita nos salvos. João, o autor do evangelho, explica “Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem”. Quero expor hoje alguns ensinamentos de Jesus que podemos extrair das Escrituras com respeito aos “rios de água viva” que fluiriam do interior daqueles que cressem. Com respeito a isso, alguns questionamentos podem surgir:
  1. Que são estes rios?
  2. Como posso saber se ele está presente em mim?
  3. Que espécie de obra ele opera em nós?
  4. Como posso receber estes rios dentro de mim?
  1. Que são estes rios?
O primeiro ensino que desejo expor é a natureza real dos “rios de água viva”. João mesmo nos explica que estas águas que certamente saciariam a sede dos que cressem simbolizavam o Espírito Santo. A promessa de Jesus era de que Ele seria glorificado, mas através do Espírito Santo, habitaria em nós, juntamente com o Pai.
A presença interior do Espírito Santo é a certeza que o crente possui de sua filiação. É o selo, a marca que atesta nossa eleição em Deus. Não se engane. O Espírito jamais habitará a quem Deus não elegeu. E aos que elegeu, não só habitará, mas o preservará finalmente, apresentando-o santificado e digno de ouvir “vinde benditos de meu Pai” da boca do Mestre. Este Espírito é aquele que, no tempo oportuno, regenera o coração do homem caído, o chama eficazmente e concede a ele fé para que possa crer. Este Espírito vem então habitar no crente, operando uma obra de completa transformação, isto é, santificando o crente, capacitando-o cada vez mais a vencer o pecado, e formando o caráter de Cristo em Sua Vida. Este Espírito testifica ao crente sua filiação. Não o deixa perecer. Mesmo no dia mais nebuloso, no meio da mais forte tempestade, o Espírito Santo guia nossos olhos para o Autor e Consumador da nossa fé, que é Jesus Cristo.
Este é o “outro Consolador” prometido por Jesus. Ele está conosco nas horas mais difíceis, e nas fáceis também! É aquele que intercede por nós, pois não sabemos como se deve orar. É aquele que livra nossos olhos de sua própria concupiscência, que nos fortalece quando o pecado vem como um algoz a nos tentar fazer negar a Cristo. Este Espírito, é, aliás, aquele que nos levanta quando cedemos a tão terrível tentação e, mesmo estando sujos pelo pecado, ele tem o remédio: nos mergulha no sangue de Jesus derramado na Cruz, e ao levantar, estamos limpos outra vez. Este Espírito glorificará sempre Aquele que deu a vida por nós, Jesus Cristo. Nos conduzirá a Ele, a crer nEle, a confiar nEle, a descansar nEle. Este Espírito fluirá em nós, e através de nós, para não somente benefício nosso, mas para tantos quantos estiverem ao nosso redor.
  1. Como posso saber se ele está presente em mim?
Um questionamento comum que atormenta diariamente muitos cristãos sinceros é este: sou verdadeiramente um filho de Deus? Sou salvo? Sem dúvida esta questão transcende a barreira entre calvinistas e arminianos. É infantil afirmar que calvinistas tem certeza da salvação por que creem na eleição incondicional e perseverança dos santos e os arminianos, por não entenderem assim, não tem esta certeza. Segurança é uma benção, uma graça que advém tanto a arminianos como a calvinistas; e como uma graça, uns podem possuí-la em alto grau, outros nem tanto. Uns, mesmo a tendo, podem perdê-la por um tempo, devido a alguma tempestade, mas, com tudo isso, o que quero que entendam é que a certeza de nossa salvação advém da certeza da presença do Espírito em nós. Por isso, é válida a pergunta: como saber se ele está em mim?
Vamos tentar responder a esta pergunta, mas não sem antes pontuar sobre um assunto que, creio, trará alívio a muitas almas. Vejamos alguns dizeres do Apóstolo Paulo:
 
Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.
Romanos 8:29-30 (ACF)
É de fundamental importância que a Salvação é garantida para todos os eleitos e predestinados em Cristo, quer eles saibam disso ou não, quer eles tenham segurança ou não. Portanto a você, irmão, imerso em dúvidas, não desejo que Satanás ardilosamente enfraqueça sua fé. Confie em Cristo, só nEle. Isto lhe será por garantia de salvação, ainda que seus pecados lhe assombrem e, como convém a um santo, você não veja bem algum em si, e tenha dificuldades de sentir certeza de sua salvação, não temas. Saiba que aquele que lhe conheceu desde antes da fundação do mundo, na eternidade, este mesmo o glorificará, também na eternidade. De eternidade a eternidade, se encontra o propósito de Deus na salvação do homem. Aleluia!
Voltemos agora à nossa questão primordial: como saber se o Espírito habita em nós. Em primeiro lugar, como já expliquei, o fato de termos dúvidas não é indício de que Ele não habite em nós. “Há incredulidade até em nossa fé”, disse Spurgeon. Tal qual a nascente de um grande rio é tímida em meio a densas árvores, e do alto talvez não a enxerguem, isso não é indício de que a nascente e o rio não existam. Assim também, gradativamente, a obra do Espírito Santo se fará conhecida em sua vida, mais rapidamente à vista dos outros, talvez, do que à sua própria vista.
Jesus disse “quem crer em mim do seu interior fluirão”. Sem dúvida, estas palavras do Mestre devem soar como alento, um descanso para nós. E por quê? Pois ele afirmou, sem deixar sombra de dúvida, de que o Espírito estaria presente na vida de todos aqueles que cressem! Se você deseja saber se o Espírito habita em você, se ele flui em sua vida, examine-se a si mesmo: você crê em Jesus? Você entende, e confia na obra de redenção que Ele realizou por você? Você sabe que não habita bem algum em você, e não fosse pela graça de Deus você estaria perdido em seus próprios pecados? Você, mesmo cheio de dúvidas e assombrado pelos seus pecados, que lhe ferem e lhe fazem sentir o mais miserável dos homens, mesmo assim, quando dobra-se diante do Pai sabe pedir perdão e sua única garantia e confiança é a Cruz e o que ela representa? Sim, meu irmão; se a sua resposta a isto é “sim”, então você crê. E se você crê, você tem o Espírito Santo. São palavras de Jesus, e não minhas.
Vale aqui dizer, neste ponto, algumas palavras com respeito a um engano comum nas igrejas de hoje, em especial nas carismáticas e pentecostais. Reconheço o saldo positivo do movimento pentecostal/carismático. Sou um de seus “filhos”. Creio na atualidade dos dons do Espírito Santo. Entretanto, há um aspecto na teologia pentecostal que traz um fardo desnecessário para muitos crentes. Desnecessário e antibíblico. É uma tricotomização da raça humana; Quando, na verdade, a Bíblia a divide em duas partes, a saber, salvos e perdidos, eleitos e réprobos, os que tem fé para salvação e os incrédulos, os que tem o Espírito Santo, e os que não têm, os pentecostais insistem em dividir os homens em três grupos, a saber, os não salvos, os crentes ainda não batizados com o Espírito Santo e os crentes mais fortes, revestidos de poder, isto é, os batizados com o Espírito Santo. Devo afirmar que a Escritura não apoia tal distinção. Atente às palavras de Jesus hoje: “quem crer”, ele disse. Quando você crê, o Espírito vem habitar em você, e basta. Muitos por não falarem em novas línguas são como que segregados em algumas igrejas. Vez ou outra referem-se a eles como se lhes faltasse algo, quando não lhes falta nada! Não se deixe levar por essa ilusão. As palavras de Jesus Cristo no último dia da festa garantem a você, meu irmão: se você crê, você possui o Espírito Santo habitando dentro de você. Dons são acréscimos, não para todos. Uns tem um dom, outros tem outro dom. Uns tem dons externalizáveis, outros não. Mas de todos, garanto-lhe, fluirão rios de água viva!
Outro aspecto que nos prova a presença do Espírito Santo em nós é sem dúvida o fruto que esta presença produz. Vejamos o que disse o Apóstolo Paulo a respeito deste assunto.
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Gálatas 5:22 (ACF)
 
Amado irmão, queres ter prova inconteste da ação do Espírito em sua vida? Pare agora e examina-te a ti mesmo. Busque em sua vida o menor resquício da presença destes frutos. Busque, não uma presença estática, mas algo dinâmico. Algo que vem se desenvolvendo. Avalie-se você mesmo a alguns meses atrás. Avalie o estado de sua alma durante este período. Houve crescimento?
Você ama mais? Sente uma necessidade de escolher fazer algo pelos perdidos e necessitados deste mundo? Ainda que neste amor haja apatia e falta de coragem para agir no começo, ou certa timidez. Este amor existe? Existe, ainda, um amor por Deus como não havia dantes? Você tem se inclinado e desejado conhecer mais a Deus, e à sua Palavra? Tem buscado relacionamento mais profundo com o Pai? Tem buscado estar mais longe do pecado, ainda que a presença dele o faça sentir-se longe de Deus muitas vezes, e te leva a pensar que não amas a Deus?
Você sente uma nova alegria dentro de você? Mesmo na tempestade da vida, quando por vezes seu barco aparenta estar indo a pique, quando você peca e passa pela sua mente “agora foi o fim, não há mais perdão para mim”, ainda assim há algo que te impele a buscar em Deus o perdão e, confiando na obra da Cruz, feita por Cristo, você enche-se de alegria por tê-lo recebido? Isso é para você a força motriz para continuar a dura caminhada?
Mesmo sabedor de que em ti não habita bem algum, você sente paz com Deus? Confia que Jesus Cristo lhe comprou esta paz com Seu sangue, ao suportar sobre Si a ira divina, ira que era destinada a nós? Esta paz que advém do perdão lhe impulsiona a ser alguém mais longânimo, ou seja, perdoador, alguém que preza pela paz e boa convivência, que suporta quieto os defeitos dos outros? Tens percebido um desejo de ser bom com o próximo? Teu coração dói mais quando sequer lhe passa pela cabeça a possibilidade de teres ferido alguém?
Cristo é sua Rocha? Você confia nEle de todo seu coração? Confia que não sendo você portador de bem algum, sua única esperança é depositar nEle toda a esperança? Esta é sua fé? Centrada em Cristo?
Tens percebido uma inclinação para mansidão no teu caráter? Você, ainda que no íntimo, odeia contendas, brigas, rixas e dissenções de qualquer tipo? Mesmo com suas falhas, percebe este comportamento em seu ser?
A temperança, e o desejo por ela tem se tornado realidade em sua vida? Tem buscado ser mais moderado em qualquer hábito? Tem lutado contra sua própria carne para vencer os desejos perversos, sensualidade, hábitos ruis, enfim, tudo o que é mau aos olhos do Senhor?
Se estes frutos estão persentes em tua vida, meu irmão, tome por certo que o Espírito está trabalhando em ti. Mas preciso te alertar. Talvez você veja um ou outro fruto com certa dificuldade. Talvez tenha ficado na dúvida ao responder sim. Mas saiba que a obra do Espirito é gradual. O homem santificado tem sim dificuldades de ver esta obra em si mesmo no início. Não se iluda de que por que você falha em um destes pontos você não tem o Espírito. Não! Posso te afirmar que feliz é aquele que sempre sabe que falha constantemente em todos estes pontos! A questão não é se você é completamente longânimo ou temperante, ou manso e fiel. Ninguém o será até sermos glorificados. A questão é: a falta disso dói em sua vida? Você luta para crescer em santidade? Percebe a ação do Espírito em frutificar estas virtudes em ti ainda que de forma tímida? Se a resposta a estas perguntas forem sim, então alegre-se em ver que o Espírito está trabalhando em você.
  1. Que espécie de obra ele opera em nós?
então ele [Deus] nos salvou – não porque fôssemos suficientemente bons para sermos salvos, mas por causa da sua bondade e compaixão, pelo lavar regenerador e renovador dos nossos pecados por meio do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós com maravilhosa abundância – e tudo por causa daquilo que Jesus Cristo, nosso Salvador, fez, a fim de que ele nos pudesse declarar justos aos olhos de Deus – tudo por causa da sua grande graça, tornando-nos seus herdeiros. E agora podemos participar da esperança da vida eterna que ele nos dá.
Tito 3:5-7 (Nova Bíblia Viva)
 
Lavar regenerador e renovador do Espírito Santo. Estas palavras resumem a resposta ao questionamento em questão: “Que espécie de obra o Espírito Santo opera em cada pequenino cristão?” Mais uma vez sendo representado figurativamente como água, nos é dito que o Espírito Santo nos lava. E esse lavar produz em nós dois resultados, a saber, a regeneração e renovação interior.
Antes de ser chamado eficazmente pelo Espírito Santo, o crente era alguém cego, miserável, caminhando sem aviso para um abismo sem fim, tendo vendada sua visão, para que não visse, e sua audição, para que não ouvisse. Morto em seus pecados, imerso em iniquidade. Abertamente em oposição a Deus e a Seu Cristo. Merecedor de justa condenação. Sem conhecimento de Deus ou vontade de segui-lo, sequer se dava conta de sua pecaminosidade.
Todo este terrível quadro é transformado por completo quando o Espírito Santo vem habitar nesta pessoa. De imediato, e sobrenaturalmente, este ser totalmente averso a Deus e amante de seus pecados, agora é regenerado. Esta palavra quer dizer “gerado novamente” ou “nascido de novo”. Agora, conforme a vontade de Deus, este homem nasce espiritualmente. Onde havia o silêncio de indiferença, pois não havia vida, agora há choro de arrependimento, pois não há mais morte, e sim vida, e vida em abundância. Uma dor imensa pelo seu pecado é gerada nele. A urgente necessidade de um Salvador fica para ele evidente. Não lhe resta opção nenhuma a não ser render-se aos pés de Cristo, depositar nEle suas esperanças de salvação, ter fé. De um ser avesso a Deus, opositor e em constante rebeldia a Ele, passamos a correr a Seus pés em busca de perdão e reconciliação, confiando não em nós, pois sabemos que bem nenhum habita em nosso ser, mas confiando sempre no Autor e Consumador da nossa fé, Cristo Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, Sumo sacerdote eterno, tendo feito sacrifício suficiente para lançar longe nossos pecados. Isto é ser regenerado. É o começo da obra do Espírito Santo em nós.
A regeneração é a maior obra, ou milagre, que Deus, através do Espírito Santo, pode operar na vida de um ser humano. Nos foi dito, através da exposição da Palavra, que Deus nos dá esta benção graciosamente, sem haver nenhum merecimento ou obra de justiça que creditasse mérito em nosso favor. É o gatilho inicial da Salvação do homem. É quando Deus opera o “querer”. É também quando Ele “começa a boa obra”, ou ainda quando age como “Autor” da nossa fé. E, de tudo isso, podemos dizer que nossa Salvação será completada quando ele operar o “efetuar”, “terminar a boa obra” e tornar-se o “Consumador” da fé. Grande é esta esperança. Louvado seja Jesus Cristo por tão grande Salvação! (Filipenses 2:13, 1:6 e Hebreus 12:2).
Outrossim, também nos é dito que o Espírito Santo renova nosso ser. Após nos regenerar, e até que Cristo venha, o Espírito tem trabalhado em cada servo de Cristo. Diariamente, ele nos renova, isto é, nos capacita a obedecer a Lei de Deus. Hoje, neste exato momento, o Espírito Santo está trabalhando em cada cristão verdadeiro a fim de o santificar, a fim de fazer com que Cristo cresça em sua vida, e ele diminua. Diariamente somos levados ao arrependimento, cada dia mais profundo. Constantemente somos levados a buscar conformar nossos hábitos com Jesus, a andar como Ele andou. Sim, falhamos, mas o poder de Deus se aperfeiçoa em nossas fraquezas!
Ah leitor, cuide para que seu coração não venha crer que algo seja maior do que este milagre, o renovo do Espírito. Curas, livramentos, ressurreição de mortos, dons, e tudo mais que Deus possa fazer e operar em meio a seu povo, tudo isso não se compara ao milagre diário que se dá em nós: a santificação de um pecador.
Busque esse milagre cada dia, não descanse enquanto ele não começar a ser visível, e continue a lutar até o dia de Cristo. Não se engane. Nós cooperamos com Deus em nossa santificação. Justificação é um ato de Deus, onde Ele nos declara justos por causa do que Cristo fez na Cruz. Santificação é um ato de Deus, evidente, porém, ele alegra-se que seus filhos esforcem-se para obtê-las. “Portanto, meus amados, como sempre tendes obedecido, não só na minha presença, mas também particularmente agora na minha ausência, operai a vossa salvação com temor e tremor, pois é Deus quem opera em vós o querer e o operar, segundo a sua vontade.” (Bíblia de Jerusalém – grifo meu). Não permita que a apatia tome conta de si, ou espere que seus pecados desapareçam espontaneamente. Atue com Deus em sua santificação.
Existem ainda dois elementos, dua graças, por assim dizer, que precisam ser postas em exercício em nossas vidas, e são resultado inerente do lavar regenerador e renovador do Espírito Santo: arrependimento e fé.
Arrependimento é profunda tristeza e contrição de coração pela sua pecaminosidade e/ou pecado particular. O arrependimento deve nos tornar a Deus, humilhados, crendo que dEle, por Cristo, receberemos perdão. Precisamos crescer em arrependimento diariamente, estando cada vez mais cônscios de nossa pecaminosidade. Duvide de seu cristianismo o dia em que você não enxergar com facilidade a indignidade e podridão que é inata ao seu ser. Quanto mais perto estamos de Deus, e quanto mais o conhecemos, maior torna-se nosso arrependimento, ou seja, mais conscientes somos de quão merecedores da ira éramos, e de quão grande obra Cristo operou por nós.
Fé é a confiança em Cristo e em sua obra redentora. Deus, em sua graça, dotou seus eleitos com fé para a Salvação. A fé é uma graça que admite crescimento. Busque a cada dia crescer em fé, confiar e depender de Cristo cada vez mais, em cada aspecto, por menor que seja, do seu viver. Dependa de Cristo, confie em Cristo, entregue todas as suas fraquezas e dificuldades a Cristo, Não aja como incrédulos, confiando na força de seu braço. Não tente vencer o pecado sem Cristo. Não tente prosseguir em sua caminhada sem Cristo. Deixe Cristo ser tudo em sua vida.
  1. Como posso receber estes rios dentro de mim?
Esta é, para alguns, a parte mais importante de todo este texto. Talvez você tenha lido tudo até aqui de maneira passiva, sabendo de que nada disso é verdade em sua vida. “Coisa de crente”, você deve ter pensado. Entretanto, em meio a todas estas palavras sobre santificação, sobre a obra do Espírito, a esperança da Cruz, salvação e arrependimento, algo acendeu dentro de você.
Talvez, você começou a sentir a necessidade de perdão. Começou a avaliar seus hábitos e percebeu que eles não se encontravam em conformidade com os frutos do Espírito, mencionados acima no texto. Você começou a ter consciência de seus pecados, e também da falta que você tem. Você não tem estes rios fluindo dentro de você, concluiu. Se este é o seu caso, é a você que minha atenção e esforços se voltam neste momento. Não ache que foi em vão tudo o que leu ou sentiu até agora.
Quer saber como você faz para possuir o Espírito Santo em sua vida? Como fazer com que Ele faça morada em seu ser? Voltemos às palavras de Jesus na festa dos tabernáculos. Lembre-se, ele intencionava atingir pessoas como você, conscientes do deserto espiritual em que se encontram.
Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.
João 7:37 (ARA)
 
Quem crer, Jesus disse. Essa é a única esperança de um pecador desesperado pelo seus pecados: crer em Jesus. Alguns afirmam que não conseguem crer. Pois eu afirmo que isto é loucura. A única coisa que alguém fatigado pelo cansaço consegue fazer é descansar! Assim mesmo, ó pecador, apenas creia e descanse em Cristo! Reconhece seu pecado? Confie na obra que Jesus realizou. Tenha em mente o que esta obra fez, de modo claro:
Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. (…) Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si.
Isaías 53:5-6, 10-11 (ARA)
 
as iniqüidades deles levará sobre si”. Nos é dito aqui com toda clareza o que Jesus Cristo realizou na Cruz: ele retirou a culpa dos nossos pecados? E como? Lá na Cruz, o próprio Pai o feriu, despejando nEle o cálice de Sua ira. Toda a ira de Deus pelos nossos pecados, que levaríamos a eternidade suportando, Cristo a levou ali, em apenas alguns momentos. Não é de se espantar que ele, no Getsêmani tenha exclamado “se possível afasta de mim este cálice”, pois sabia que suportaria uma ira de magnitude infinita. Desta forma, maravilhosamente, quem crê em Jesus está unido a Ele, e os seus pecados não são mais levados em conta. O perdão foi comprado na Cruz por você. Creia, somente, e comece a viver uma vida com Cristo, e, como disse Jesus no último dia da festa, do seu interior fluirão rios de água viva!
Anúncios

Sobre Matheus Henrique

Crente em Jesus Cristo!
Esse post foi publicado em Devocional, Sermões e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O Último dia da Festa

  1. Sâmara disse:

    amém! Vale muito a pena chegar até o final, é longo mas de qualidade =)
    Deus seja contigo Matheus!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s